Entenda a diferença entre profissional liberal e autônomo

Entenda a diferença entre profissional liberal e autônomo

Com a flexibilização da CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas) e a nova realidade das relações entre empresas e trabalhadores, muito mudou em relação a forma como os profissionais vendem seu trabalho às organizações. E nesta onda, os conceitos profissional liberal e profissional autônomo passaram a ser cada vez mais ouvidos e confundidos. Atualmente costuma ser grande a confusão e muitas vezes são usados de forma errada. Elaboramos este conteúdo para você conhecer as características específicas de cada um desses profissionais e entender as suas responsabilidades. 

Quem pode ser considerado profissional liberal?

O profissional liberal tem formação técnica em determinado ramo / área do conhecimento, que pode ser obtida pela graduação ou curso técnico. Ele é registrado em um conselho de classe ou ordem – como OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e pode trabalhar como pessoa física com vínculo trabalhista ou autônomo. Ou ainda como pessoa jurídica com CNPJ.

Quando vende o seu trabalho como profissional liberal, a maior parte dos tributos que ele paga é referente aos serviços prestados. Nesse caso, devem ser pagos o Imposto de Renda, como pessoa física ou jurídica, INSS, PIS e ISS.

Se estiver registrado em conselhos e sindicatos, precisa reservar parte da renda para o pagamento de taxas desses órgãos. Em muitos casos, profissões regulamentadas, não permitem o exercício sem essa vinculação.

Quais são os tipos de profissionais liberais?

Todas as profissões regulamentadas podem abrigar os profissionais liberais. Alguns exemplos de profissionais liberais são:

  • médicos
  • dentistas
  • corretores de imóveis
  • arquitetos
  • advogados
  • jornalistas
  • engenheiros
  • arquivista
  • administrador
  • assistente social
  • bibliotecário
  • contabilista
  • corretor de seguros

O profissional liberal é regulamentado no Brasil?

A constituição regulariza as profissões, já que as formações são regulamentadas. Dessa forma, cada profissão tem o próprio regulamento e as suas regras. O profissional pode ser considerado profissional liberal se tiver formação específica. Neste caso pode escolher entre ser empregado ou trabalhar por conta própria.

Um exemplo disso é que como profissional CLT você pode ser engenheiro, mas se não tiver registro no CREA (conselho regional de engenharia e arquitetura) do seu estado, não poderá ter registrado em carteira de trabalho com o cargo de Engenheiro. Normalmente as empresas optam por termos correlatos, como Especialista em Obras ou similares.

Vantagens de ser um profissional liberal

  • Atuação na área escolhida de formação de maneira regulamentada;
  • Salário, no caso de CLT, atualizado conforme negociação dos sindicatos;
  • Possibilidade de ganhar mais dependendo da produtividade;
  • Direitos trabalhistas garantidos.

Desvantagens de ser um profissional liberal

  • Menos possibilidade para ter flexibilidade de horários;
  • Necessidade de aprovação por órgão ou conselho regulador;
  • Independência profissional regulada pelo órgão que o representa.

A gestão da rotina financeira do profissional liberal

Nós sabemos que é muito comum na vida de um empreendedor, autônomo ou profissional liberal ter que se desdobrar para cuidar não só de seus clientes mas também de todas as rotinas financeiras, contábeis e administrativas necessárias para garantir uma boa gestão do seu negócio.

Nós da Mco contábil estamos a disposição para ajuda-lo!

Deixe um comentário